Arquivos para o mês de: setembro, 2007

Líder no setor de carros, a Virtus Comunicação, criada por Marcelo Raposo e Fábio Alves, está há oito anos no mercado pernambucano, como agência de publicidade e propaganda, e há dois anos em São Paulo, como a Promo Virtus.

Através desta área de promoções, a empresa assinou contrato com a financiadora de automóvel ABN para cobrir todos os eventos realizados nos estados do Nordeste, São Paulo e Rio Grande do Sul.

A Virtus tem como meta atender as necessidades do cliente, buscar resultados focando a qualidade e, por meio da campanha ou trabalho, dar retorno ao investimento feito. Para isso, em Pernambuco, conta com as áreas de Atendimento – Tiago Nobre, Mídia – Rossana, Direção de Criação – Sérgio, Direção de Arte – Tiago, Redação – Vanine, Financeiro e Administrativo – Alexandre, e Recepção – Fabiola, que, em conjunto, fazem do planejamento uma realidade.

Atualmente, a agência vem passando por diversas mudanças, segmentou o mercado e montou estratégias com o objetivo de ampliar seus valores, têm investido maciçamente em outras áreas e na prospecção novos clientes.

Tiago Nobre – Atendimento.

Formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Católica de Pernambuco, Tiago Nobre, está terminando seu MBA em Marketing Estratégico pela Universidade Federal de Pernambuco.

Iniciou sua carreira como bancário da Caixa Econômica Federal, onde passou seis meses. Inscreveu-se no programa de estágios do Instituto Euvaldo Lodi e depois de passar por diversas etapas, entrou no departamento Comercial do setor de Marketing do SEBRAE, permanecendo lá por dez meses até enviar seu portfólio para o Edson Martins, da Mart Pet, conseguindo assim seu primeiro vínculo na área de atendimento em uma agência de publicidade e propaganda.

Depois dos seis meses de estágio, por indicação da professora Telma Guerra, também da Universidade Católica de Pernambuco, foi chamado para o seu primeiro emprego na área publicitária pela Plano B Comunicação, atendendo clientes como CIV, Refrescos Guararapes – representante dos produtos Coca-Cola em Pernambuco, Academia R2, entre outros, permanecendo por dois anos.

Hoje, Tiago faz parte do setor de atendimento da Virtus Comunicação, onde já está há três meses, junto a Laís – estagiária também indicada pela professora Telma Guerra, que o auxilia preparando as explicações dos briefings para passar à toda equipe de trabalho.

A fotografia, hoje, se faz um bem necessário. Sabe-se que ela surgiu do aperfeiçoamento da pintura, das experiências realizadas para colocar no papel a imagem obtida através da luz e processos físicos e químicos.

As pessoas fazem fotografia por diversos motivos. A maior parte são registros e recordações de férias, família, amizades, significando uma das mais válidas funções sociais desde os primórdios, congelando momentos da nossa história para que sejam lembrados no futuro.

Com o caminhar dos anos, a fotografia também começou a ser utilizada para outros fins. As pessoas passaram a captar imagens para divulgá-las com a finalidade de ferir a consciência mostrando a condição humana, denunciando a sociedade e até momentos da história, buscando uma resposta positiva do observador sintetizando um acontecimento. Como exemplo, podemos citar as fotos do Hitler, da copa do mundo de 1998, do movimento das Diretas Já, entre outros. A esta função, damos o nome de fotojornalismo, que hoje é a mais importante utilizada.

Além do fotojornalismo, existem outras derivações. A publicidade, grande aliada, inicia o uso deste artifício, colocando imagens de pessoas ou cenas que representem aquela marca ou o próprio produto, para convencer o cliente de que ele precisa do utensílio, serviços, etc.

Ainda dentro da área publicitária, podem ser citadas as fotos que comunicam beleza na forma de paisagem, seja ela humana ou natural – como, por exemplo, as imagens da Dove, Gillette, TIM – e que comporá calendários, banners, folders, entre outros itens da campanha.

Com o aprimoramento da tecnologia, tornou-se possível a utilização das fotos nas áreas da educação e da saúde. Para a medicina, por exemplo, é possível fazer imagens do corpo humano para identificação de doenças, assim como também é possível para a biologia o estudo dos vegetais e de diversas estruturas nas áreas humanas e exatas. Pode-se dizer que é uma forma de não perder as informações e características do objeto captado durante a ação do tempo.

São inúmeras as funções que a fotografia desempenha dentro da sociedade, mas aqui foram expostas as mais utilizadas e conhecidas. Sendo assim, seja para recordação, jornalismo, publicidade ou na educação, o importante é saber fazer uso da imagem e desta forma colaborar para o despontamento de novos rumos para a fotografia.

Referências
LANGFORD, Michael. Fotografia Básica, 5ª edição, Dinalivro, 2003.
BUSSELLE, Michael. Tudo sobre Fotografia, 9ª edição, Editora Guazzelli, 1999.

Nem a chuva, nem o final do mês e menos ainda o show de despedida da dupla Sandy e Júnior abalaram a Primeiríssima Calourada da Escola Superior de Marketing e Faculdade de Mercado Amplo. Organizada pelo produtor Henrique Caupani, este ano, a calourada contou com a presença das bandas Victor Camarote e Banda Arquibancada, Excesso de Bagagem e Vilões do Forró.

A concentração começou em frente ao prédio anexo da Escola Superior de Marketing onde diversas pessoas esperavam a liberação da entrada. O evento teve início por volta das vinte e duas horas quando o DJ convidado soltou hits remixados da Xuxa, Pink Floyd e algumas músicas do estilo brega, contagiando o público.

A primeira banda a se apresentar foi a Victor Camarote e Banda Arquibancada que, com seu jeito irreverente, tocou sucessos do Beto Barbosa, Kaoma, Sidney Magal e relembrou diversas lambadas.

Após outra apresentação do DJ, foi à vez então da banda Excesso de Bagagem que fez o público delirar no ritmo da swingueira enquanto entoava o “Ela é problemática” e que ainda adaptou os reggaes do cantor Edson Gomes e da banda Ponto de Equilíbrio.

Para fechar a noite, subiu ao palco a banda Vilões do Forró que provocou a euforia feminina, acalantou os casais e animou o público com as músicas “Sou o cara”, “Beber e farrear”, “Caso encerrado”, tocando até o dia amanhecer e encerrando com chave de ouro.

A Calourada também contou com a participação da direção da faculdade e dos professores Lúcia Noya, Nonato, Siane, entre outros, que ficaram na privilegiada posição do camarote, dando ênfase à professora Valéria que fez a cobertura fotográfica.

Com uma ótima repercussão do evento, foram abertos novos horizontes. Agora, os integrantes das duas faculdades já estão na organização e aguardo da feira promocional que deverá acontecer em meados de outubro para, assim como nesta calourada, dar bons resultados de divulgação e integração da instituição.

A Creatto.

Uma das agências de publicidade mais requisitadas de Pernambuco, a Creatto existe há 10 anos e surgiu através do projeto de uma empresa júnior no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. Os primeiros trabalhos realizados foram: a capa de uma revista de Brasília, a marca da empresa Refrescos Guararapes – Representante dos produtos Coca-cola no estado, cobertura de evento da Secretaria de Educação, entre outros. No ano de 2006, a Creatto fundiu-se com a Talk Comunicação, mas, por diversos motivos, esta parceria não vingou e as duas empresas voltaram as suas atividades separadamente.

Visão atual da Propaganda.

Na década de 80, surgiram, as duplas de criação e assim se deu o “boom” das empresas de propaganda no mercado. Profissionais como Washington Olivetto, Marcello Serpa, Nizan Guanaes, brilharam nesta época com a propaganda criativa, ainda que os orçamentos das agências estivessem fora da realidade. Com o passar dos anos, houve a normatização e o estabelecimento de preços mais justos a partir da fundação de instituições como o Sinapro – Sindicato das Agências de Propaganda. Hoje, o público tornou-se mais exigente, são diversas marcas disputando um espaço publicitário e, embora algumas sejam direcionadas, quando as pessoas conseguem gravar os produtos esquecem os comerciais justo pelo aumento da quantidade de propagandas.

Os Departamentos.

Para melhor controle e organização as atividades, as agências publicitárias estão divididas em departamentos, são eles:
Atendimento – Atua como cartão de visita da empresa. Tem como objetivo, conquistar a confiança do cliente através da pró-atividade, apurar ao máximo as informações e detalhes sobre a empresa e o produto a serem trabalhados por ele;
Planejamento – São responsáveis por toda estratégia de marketing do cliente e quando necessário fazem a pesquisa de mercado do cliente;
Criação – Daqui saem às idéias, textos e imagens para a propagação do produto e marca por intermédio da dupla de criação composta pelo diretor de arte e pelo redator, estes supervisionados pelo diretor de criação;
Produção – Tem como função executar a cotação dos serviços nas gráficas e em outros suprimentos;
Mídia – O profissional desta área tem o papel de negociar com os veículos de comunicação de acordo com a verba existente, escolhendo os melhores horários e emissoras para que a campanha seja divulgada;

Cliente x Agência x Fornecedores.

A relação exercida entre o cliente, a agência e o fornecedor de produtos e serviços, para a agência, é sempre algo bastante minucioso. O cliente tem a garantia de que sua propaganda vai ser vinculada no prazo estipulado, a agência deve cumprir com o seu papel e entrar em contato com os fornecedores para negociar valores, horários, utensílios, enfim, tudo o que for necessário para a campanha.
O problema, muitas vezes, está justo na hora do fornecedor cumprir com o prazo acordado. Não são todos, mas exclusivamente em Pernambuco, o maior problema das agências está na veiculação de Outdoors.
O que vem acontecendo hoje, é a falta de comprometimento das empresas desse ramo. As agências reservam seus espaços e não tem a garantia de que ele estará disponível no dia e hora acordados ou, muitas vezes, encontram os espaços depredados, mal posicionados, entre outras falhas, mas já são feita reuniões junto aos órgãos competentes contra esse tipo de prática abusiva.
Com relação aos valores na produção de folders, brindes, banners e outros promocionais, a agência lucra 15% em cima do valor total dado pela gráfica. Já nos veículos de comunicação – TV, Jornal, Rádio, Outdoor, Outbus, Backbus – esta margem de lucro passa para 20%. Vale ressaltar que, muitas vezes, o cliente não entende e as agências passam este valor do lucro como desconto e esta atitude é recriminada pelos órgãos de normatização.

Gerando resultados.

Para que uma agência acerte suas atividades, é necessário que ela invista maciçamente na ação dirigida, na mídia focalizada, pois, este tipo tem efeito melhor efeito do que quando se utiliza a propaganda em massa.
“Repetição gera reputação”. E quem não se lembra dos comerciais da Bombril, Batom Garoto, Oi. Estes são exemplos clássicos e até recentes de que explorar a repetição de palavras, imagens ou gestos é um ato de sucesso, que torna as empresas cada vez mais populares. É uma técnica que dá ênfase à marca e explora o cliente, fazendo com que ele tenha mais amplitude no mercado.

Fonte: Relatório sobre visitação à Creatto
Créditos: Danielle Ferreira